Férias em Minas Gerais

FeriasEmMinasGerais

Olá Divin@s!

Esse post foi enrolado de sair, viu? Estou a um tempão querendo contar como foram as férias e não consigo! Mas, finalmente, me organizei e tenho um MONTÃO DE COISAS PARA COMPARTILHAR! Durante as férias eu tive a oportunidade de conhecer Minas Uai Gerais, local que nunca tinha ido. E vou passar aqui as minhas dicas, experiências e vivências nessa terrinha maravilhosa. ALERTA: Senta que lá vem textão! Esse vai ser textãozão, por isso, antes de começar, pode ir lá pegar um cafezim e pedacim de queijo pra entrar no clima mineirês.

No começo da nossa historinha a nossa personagem Diva estava em Brasília largada no sofá, quando foi acometida pela vontade de viajar. Depois de uma semana de férias em sem nada para fazer, decidiu se aventurar no mapa do Brasil e escolher que lugar conhecer. Decidiu então para Minas seguir e lá poder enfim se distrair. Kkk! Viu já posso fazer rima de conto de fadas! Kkk! Mas foi bem assim: de manhã não íamos viajar, ficaríamos em Brasília até o fim das férias. A noite estávamos reservando os hotéis e buscando os roteiros para fazer. Os nossos melhores amigos foram o TripAdvisor, Viaje na Viagem e Viaje Aqui para os roteiros, lugares para visitar/comer e opiniões gerais. E, para traçar rotas, Waze e Google Maps. Tudo aconteceu muito rápido e de sopetão, sabe? Em uma tarde decidimos ir e reservamos tudo, para viajar na madrugada seguinte!! Não deu nem para eu me despedir do povo ao vivo, se eu tivesse morrido só ia sobrar os áudios de lembrança! Kkk! Enfim, fomos de carro para a terrinha e decidimos que seria uma viagem histórica = ver coisa velha. Pegamos o rumo da 040 em direção a Tiradentes cidadezinha que é um amor…mas aquele esquema de cidade turística né? Bonitinha, mas ordinária! CARRÍSSIMA! Foram 12h de direção com uma parada para almoçar e duas ou três, não lembro bem, para abastecer. A estrada estava boa, sem buracos, com alguns trechos duplicados, mas 040 é 040 então tinha muita carreta e caminhões o que acaba reduzindo a velocidade da viagem. E, ainda por cima, tivemos de passar por 9 PEDÁGIOS!! E em cada um deles ficava R$ 4,80 dinheiros. Se você for de carro a dica é faça as contas e leve dinheiro trocado. Ahh e uma das coisas mais odiosas do pedágio, além do dinheiro gasto, é que o guichê de cobrança manual sempre tem fila e por isso demora um pouquinho só que todas as carretas e caminhões, que você já ultrapassou, passam em uma faixa exclusiva em que não é preciso parar. Resultado: você terá que ultrapassá-los de novos! #CHATIADAPRACARALEO

O que aprendemos com a viagem de ida?

1) Leve comida – vai te ajudar a diminuir as paradas e engatar na direção.

2) Baixe o Waze para te dar as rotas – foi nosso grande amor na viagem, traçamos a rota e seguimos até chegar em Tiradentes.

3) Leve o cabo para carregar o celular no carro, você vão precisar.

4) Tenha playlists – nós não tínhamos e fez muita falta, ficamos sem trilha sonora para as paisagens lindíssimas que vimos.

5) Use roupa e sapato confortável – gente a viagem é BEM longa não dá para ficar com algo te apertando! Eu fui de vestidinho, casaquinho e sapatilha, embora eu tenha ficado quase o tempo todo descalça e foram as melhores escolhas.

Tiradentes

Vai lá pegar mais um cafezinho, eu espero! Ahhh Tiradentes é uma daquelas cidades que parecem terem sido esquecidas no tempo. A arquitetura dela é uma fofura, várias casinhas pintadas de cores diferentes, uma ao lado da outra. A cidade é um mimo só, ninguém pode negar! Lá ficamos na Hospedaria de Maria e o pessoal foi super gente fina com a gente! Lá é uma casa que virou hotel, como a maioria das que tem na região. Como a cidade é estritamente turística, muita gente transformou a “humilde residência” para instalar turistas. Tiradentes é como toda e velho cidade turística, cara para cacete! Eu achei tudo caro, comida, lembrancinhas, roupas. E tudo tem que pagar, então fomos ao Museu Casa do Padre Toledo (R$ 10,00) que eu amei demais, passeamos pela cidade, subimos um morro onde fica a Igreja São Francisco de Paula para ter uma visão de toda a cidade, passeamos na Igreja Matriz (R$ 5,00) e depois pegamos o rumo de Ouro Branco.

TiradentesMinasGerais
Lembranças de Tiradentes

O que aprendemos em Tiradentes?

1) Apesar da cidade ser uma amorzinho, eu, particularmente, não achei que vale a pena ficar mais 3h no carro para chegar lá.

2) Compre o que quer comprar, não espere a próxima cidade – pelo menos no que tange a artigos de vestuário e acessórios. Eu fiquei encantada e doida para comprar um chapéu que vi lá, estilo anos 20 e fiquei pensando em comprar depois nas outras cidades. O que aconteceu? Me lasquei! Não achei dele ao longo da viagem. Então, quando não for souvenir/lembrançinha, porque essas você vai achar demais, principalmente se for em pedra sabão, compre sim! Talvez seja sua única oportunidade.

Ouro Branco

Em Ouro Branco ficamos como cidade dormitório porque ela fica entre Congonhas e Ouro Preto e o valor da diária é MUITO mais barato! Lá ficamos no Hotel Colonial que já tem cara de hotel mesmo! Kkk! O hotel fica em frente a uma das milhares de igrejas que você vai conhecer em Minas e vale MUITO a pena passar por lá. Ela é pequena, mas tem bastante destaques e representa bem o que foi a “escola” barroca no Brasil. Linda demais vale a visita!

Lembranças de Ouro Branco
Lembranças de Ouro Branco

O que aprendemos em Ouro Branco?

1) Subir escada faz bem ao coração – ficamos no 3º andar do hotel e lá não tem elevador. Como bons sedentários subíamos as escadas com 3 palmos de língua para fora, depois a gente acostuma e fica até feliz!

2) Cidade de interior é de interior – em comparação com Tiradentes a cidade de Ouro Branco é um choque, parece cidade grande! Cheia de prédios, carros e semáforos! Mas…só parece! Gente dá 20h da noite e já está tudo fechado, não tem onde comer, o que fazer, não tem entrega!! #surtada Por causa disso, comemos quase todos os dias no restaurante Elmira/Duas Irmãs. Lá tem de tudo: self service de comida mineira, sanduíche, caldo, pizza. O pessoal até já conhecia o horário da gente chegar! Kkk! E em frente fica o Mr. Shake, uma espécie de Chiquinho de Minas que ajuda a lembrar da realidade.

3) Tenha casaco – lá é o seguinte o sol foi embora o frio é devastador, pelo menos para mim que sou friorenta, venta demais! Um vento gelado na cara! É melhor ter o casaco e não usar do que precisar e não ter, né? Já dizia vovó!

Congonhas

Super famosa por abrigar os profetas de Alejadinho na Igreja Bom Jesus de Matosinhos, assim como as 6 capelas que retratam a via sacra. Eu simplesmente amei o combo! <3 Quanto fomos a igreja, ela em si estava em restauração e nem sei como é na vera…só pude ver uns pedacinhos! 😛 Os Profetas são lindos, as capelas também e a vista é maravilhosa! De lá fomos para o Museu de Congonhas e foi uma experiência bárbara! Primeira coisa: eu amo museu demais! Pode me largar lá que eu fico feliz até! E este museu é uma experiência multisensorial deliciosa! Todo pensando, projetado e iluminado para contar a história da cidade, de Aleijadinho e de toda a religiosidade que envolve o lugar. A-DO-REI! Depois comemos por lá, compramos uns presentinhos e pegamos o rumo de Ouro Branco.

Lembranças de Congonhas
Lembranças de Congonhas

O que aprendemos em Congonhas?

1) Ladeira em Minas é mato! – Você não sobe as ladeiras, você praticamente escala! Se não tem condicionamento, dá para fazer os passeios mesmo assim, vá com calma! Devagar e sempre! 😀

2) Vá primeiro ao Museu e depois a Igreja – como o museu trata da história da cidade, muitos elementos vão fazer mais sentido depois de conhecê-la.

3) Você está de férias relaxe! – Acorde tarde, vá sem pressa, se não der para fazer toda a programação não fique angustiado, deixe lugares para a próxima viagem. O bom dos passeios é poder curtir a seu tempo, olhando os detalhes que você quer.

Mariana

Fomos a Ouro Preto, no primeiro dia, só para pegar o trem da Vale (R$ 60,00 ida/ R$ 80,00 ida e volta) e seguir os caminhos de Mariana. Pegamos o vagão panorâmico, que tem as paredes laterais em vidro, ar condicionado e um copim d’água. A dica do trem é ficar do lado direito na ida, anota aí LA-DO-DI-REI-TO. Esses lugares favorecem demais deixando a paisagem livre. De Ouro Preto a Mariana são 18km que são percorridos em 1h pelo trem. A vista é linda e o balanço do trem é uma delícia! Chegando lá pegamos um ônibus para a Mina da Passagem (R$ 60,00), a cobradora foi uma graçinha e disse onde tínhamos de descer! A mina é uma mina mesmo, que foi explorada por décadas por conta de suas riquezas, no passeio você desce 150 metros debaixo da terra e conhece as galerias mineradas e lá tem um lago. Vá lá! Vale a pena demais da conta, ó meu Deus! Conhecemos o centro histórico de Mariana em uma praça que ainda conserva o pelourinho usado para açoitar os escravos #tenso, Igreja e Câmara Municipal. Voltamos às 16h de trem, último horário de saída dele 😀 Mas também dá pra voltar de ônibus, que é bem mais barato! 🙂

Lembranças de Mariana
Lembranças de Mariana

O que aprendemos em Mariana?  

1) Na rua abaixo da praça da igreja tem um dos jardins mais lindos que já vi. É uma praça toda arborizada, com coreto e tudo mais. Além do restaurante Ranchão com a comida mineira que o bem mais gostou. Depois, se tiver espaço, dê uma passadinha na confeitaria Chantily, comemos bolo lá e foi tudo de bom!

2) Se você é do tipo reflexiva como eu, ir até a mina e ver aquele pelourinho ainda com as correntes me deixou MUITO reflexiva sobre a condição humana e do que somos capazes. Lá foi o lugar que me apertou mais o peito, sabe? Desde então tenho pensando muito em como fazer do mundo um lugar melhor. Então eu sugiro que você pare para reparar e pensar um pouco.

3) Se tiver carteirinha, leve! Na maioria dos lugares você vai pagar meia!

4) Leve dinheiro trocado! Não confie no cartão, muitos lugares não o aceitam!

Ouro Preto

Lá é simplesmente tudo de bom! A cidade ainda conserva bem a carinha de interior mais tem um quê de moderninha. Estando lá não deixe de conhecer a Igreja de São Francisco de Paula (R$ 10,00) com inúmeras obras de Aleijadinho e mestre Ataíde, também aproveite para desbravar os museus vá na Casa dos Contos (R$ 10,00), no museu de Minerologia (R$ 10,00), no museu dos Inconfidentes (R$ 10,00), aproveite a vista de toda cidade, curta a praça Tiradentes e não deixe de tomar o chocolate quente dos Deuses que tem na Chocolateria Vila Rica.

OuroPretoMinasGerais
Lembranças de Ouro Preto

O que aprendemos em Ouro Preto?

1) Eu já disse que ladeira é mato em Minas?

2) Um dia só é pouco para turistar no esquema museus. Como eu já falei, eu e o bem gastamos muito tempo olhando cada detalhe de tudo e por isso o tempo foi pouco.

3) Cuidado ao atravessar a rua! Lá é uma confusão de carros e gente para lá e para cá e eles simplesmente brotam não sei de onde, tenha cuidado!

4) Casaquinho é bem importante porque lá é no pé do morro, quando o sol some o frio samba na sua cara.

5) Evite o domingo –  fomos passear lá no domingo e alguns museus fecharam em horário diferente, mesmo o site indicando outro horário e por isso ficamos chupando dedo sem ver algumas coisas.

6) Se você tem medo de cachorros…Ouro Preto é o melhor lugar para vencê-lo! Tem um zilhão de cachorrinhos pela rua, andando, zanzando e deitados na praça! Eu achei uma fofura só! 😀

Belo Horizonte

Aí sim chegamos ao século XXI! A primeira coisa que fizemos em BH foi comer no Burguer King e matar a saudade de casa! Kkk! Chegamos lá na segunda e esse é o dia em que Minas não está para os turistas! A maioria esmagadora dos eventos culturais não abrem na segunda, então aproveitamos o day off para fazer absolutamente NADA como as férias pedem! Porque eu não sou obrigada, né? BH é uma metrópole que fervilha de carros, pessoas e cruzamentos! Por lá ficamos dois dias e podemos conhecer o complexo da Pampulha com todo seu visual e estrutura arquitetônica, o maior aquário de água doce (R$ 6,00) que fica dentro do zoológico (Entre R$ 3,00 e R$ 6,00 depende do dia) e tem exemplares de peixes do Rio São Francisco, fomos ao mercado municipal, ao Museu de Minas da Vale (gratuito), a praça da liberdade e ao planetário (R$ 6,00). O circuito cultural de BH foi magnífico, ao contrário do que eu achei depois de ver Congonhas e Ouro Preto. Por favor, se você for por lá não deixe de ir nesses lugares, vale cada passo!

Lembranças de BH
                                                                     Lembranças de BH

O que aprendemos com BH?

1) Definitivamente o Waze é seu melhor amigo – PQP o trânsito da cidade é uma loucura e não faz o menor sentido! Para eu que sou nascida e criada em Brasília aquilo é a insanidade, impossível andar ali sem GPS.

2) Na praça da liberdade além de jardins divinos, tem dois museus, o planetário, o ccbb então gaste bastante tempo lá. Almoce no Mercado Municipal, mais especificamente no restaurante Casa Cheia, mais especificamente as Almondegas Exóticas ou o Mixidoido Chapado. Experimentei os dois e quase morri de comer! <3 Gaste um tempinho dando uma voltinha pelas banquinhas de lá, ok?

3) Você pode fazer qualquer coisa menos perder o museu da Vale! Para você ter uma ideia de como gostamos de lá eu e o bem entramos às 10h exatamente o horário que abre e só saímos de lá às 13h e olha que eu nem ouvi toda a história que tem por lá. O museu conta a formação de BH e de Minas Gerais e é MUITO MANEIRO! <3 Foi o meu 1º lugar dos museus que vi por lá.

4) Como fomos de carro, passeamos em BH com ele, mas a minha master dica é busque um táxi/uber. Em BH além do trânsito ser uma loucura, você passar raiva e tensão, os retornos não existirem e tem semáforo a cada 50 metros, também é péssimo e caro para estacionar. Opte por andar como passageiro aproveitando a paisagem e sem se preocupar onde largou o carro, provavelmente muitas e muitas e muitas quadras de distância.

Mas no fim voltamos bem, curtimos muito, vimos muita coisa nova e lugares que nunca imaginamos! Eu simplesmente amei Minas, amei pensar sobre a formação do Brasil e toda sua complexidade. Estou apaixonada pela terrinha do Uai e certamente voltaremos. Pra mim, que sempre estive em Brasília, ter esse contato com as “coisas velhas” me acendeu muito a curiosidade, saber das história e tudo o que a pátria amada abarca em sua extensão. Turistar no Brasil é muito bom! <3

P.S.: Esqueci de dizer! Em Minas pegamos vários Pokémons e foi super produtivo para alcançar nosso sonho de ser um Mestre Pokémon! <3 Todas as praças históricas tinham pokestops, pegamos muitos Pokémons de água na Pampulha, o pessoal que joga lá é bem bacana e indica onde pegou esse ou aquele Pokémon, aumentamos bem o nosso pokedex e Zubat lá é mato! 😀

Então é isso meus amores! Eu confesso que Minas me deixou com vontadinha de quero mais e a pulga atrás da orelha para saber o que mais ela me reserva! E esse foi nosso primeiro post de viagem! Ohhh! Que amor!!! <3 Gostou do post? Já foi a Minas? Ficou com vontade? Quer compartilhar uma experiência? Então deixa nos comentários :*

Beijo Diva em você!

beijo diva

 

Deixe uma resposta