Amigaaaa!!!!!

Tinha acordado feliz da vida, finalmente tinham saído a sós. Ok, não foi exatamente como ela planejou, mas, de certa forma, foi uma noite maravilhosa que a deixou empolgadíssima. E, como toda boa mulher, ela estava agoniada, aflita, agonizando para contar a [melhor] amiga todos os detalhes do que tinha acontecido. Combinou com ela que contaria T-U-D-I-N-H-O na hora do almoço. E, como você pode imaginar, foi a manhã mais e mais e mais e mais e mais e mais e mais….arrastada e demorada de toda a sua vida!!! Por mais que o trabalho não faltasse, e a sua mesa cheia de papéis e bagunças denunciava o excesso, os minutos estavam sendo contatos um a um e nenhuma distração no mundo mudaria aquele martírio. As vezes parava olhando o relógio e lembrando do que tinha acontecido, do encontro, sorria mordendo o lábio inferior e retornava a si.
Finalmente [aleluia!] deu o horário de saída, pegou a bolsa e foi. Desceu o elevador com a euforia no coração, foi ao shopping. Pediu comida e estava esperando, quando viu:
– Amigaaaaaaaa!!!
– Amigaaaaaaaaa!
A alegria eufórica e indefinível estava instalada.
– Me conta tudo, quero saber tudo!!!!
– Claro, estou doida pra te contar. Escuta, ontem estava saindo do escritório e recebi a mensagem. E aí, vai fazer alguma coisa? Respondi que não, estava indo para casa sem programas. Por que? Ah, porque se você quisesse a gente podia fazer alguma coisa. É mesmo o que você sugere?
– Nossa, mas você se faz de difícil!! Doida pra pular no colo alheio e fazendo doce. Hahaha!
– Oras, mas é claro! Tem que rolar um charme da minha parte, você me conhece!
– Ai, ai, continua.
– Marcamos que ele ia passar lá em casa pra me buscar, mas, sinceramente, só ia sair porque era com ele. Afinal de contas, o diretor tá na empresa, minha mesa tem uma brotação instantânea de papel e eu uma pilha de nervos, fiquei até com medo de estragar alguma coisa.
– Ah é, você nervosa é um saco! Só te aturo pela amizade! Hahaha!
– Ah tá, como se fosse ótima de aturar.
– Ihhh, ficou ofendida! Credo é brincadeira, sua boba!
– Tá vendo como eu tô nervosa. Mas enfim, deixa eu continuar.
– Tá, continua.
– Fui pra casa, tomei um banho, escolhi a roupa, me vesti, detestei, me vesti novamente, detestei, me vesti de novo, detestei e voltei para o primeiro look. Que foi o que eu menos detestei, aliás estou precisando de roupas urgente. Mas minha personal style não tem tempo para mim, né?
– Oh, meu Deus! Faz tempo que  não saímos para meninice mesmo. Estou tão atarefada que me dá preguiça de fazer qualquer coisa. Tenho até comprado roupa, sapato, maquiagem pela internet, por pura falta de coragem.
– Sério? Nossa, então você tem que me mostrar os sites. Assim você vai lá pra casa e podemos fazer a feira sem sair do sofá. E ainda rola um almocinho, adorei!
– Tá, tá, mas foca na conversa. O que rolou?
– Ah é, então me vesti e fiquei esperando. E ele enrolou, enrolou, enrolou. Passou uma hora do combinado e eu já tinha achado que tinha tomado o toco. Até cochilei no sofá.
– Putz, sério? E aí?
– E aí a campainha tocou.
– MENTIRA!?
– Verdade!!! Tipo, eu tomei um susto, tava cochilando. Demorei a entender que era a porta. Levantei descalça e fui ver quem era. Olhei no olho mágico e vi uma pessoa segurando um buquê de flores, rosas vermelhas, de forma que tampava o rosto.
– Uhhhh, que chique!
– Eu escolho bem, oras! Hahaha! Não tive nem tempo de me olhar, saber se estava com a cara amassada, nada. Ajeitei o vestido mais ou menos e abri a porta. Ele tirou o buquê do rosto, percebi que na outra mão estava um vinho. Ele pediu desculpas pelo atraso e que sabia que estava tarde, mas que queria muito me ver então arriscou mesmo assim.
– Eitaaa!!! E aí???
 – Aí que ele entrou, a gente ficou conversando, decidimos pedir uma pizza, papo no sofá, lá, lá, lá.
– Dá pra pular para parte que interessa?
– Hahaha, então, aí que tá. A pizza chegou a gente comeu, tomou o vinho, continuou conversando e acabou pegando no sono, ali mesmo no sofá.
– O QUE???? Você tá de sacanagem, né?
– Não, não. Estávamos os dois cansados do trabalho, com a pança cheia de pizza, vinho…caímos no sono, no sofá, acordamos hoje. Acordei de susto, com o despertador tocando. Acordamos, nos olhamos e começamos a rir. Tomei banho, ele se ajeitou lá em casa, tomamos café juntos e fomos cada um trabalhar.
– Credo, eu não acredito que você me deixa a manhã toda agoniada para contar que não aconteceu absolutamente NADA! Mas que sem graça!
– Sem graça nada, já recebi outra mensagem. “Agora que já dormimos juntos, que tal fazer alguma coisa acordados?” Ou seja, #hojetem!!!
– Hahahaha, você não existe! Desejo que seja melhor essa noite, ok? E vê se faz coisas mais legais para eu ter uma boa história para ouvir, ok??? Cheio de sexo selvagem e libidinoso, pode ser?!
– Bom, pelo menos é o que eu pretendo. Afinal de contas, não pode ir pra cama no primeiro encontro e esse vai ser o segundo! Hahaha!!
– Hummmm, então tá. Deixa eu voltar pro trabalho!
– Eu também! Beijo, sua linda!
– Beijo sua doida!! E juízo, ok?
– Esse eu tenho de sobra.

Então ela saiu do Whatsup, bloqueou o celular e voltou ao mundo real.

Deixe uma resposta